sexta-feira, fevereiro 10, 2006

Ferias

O autor deste blog está de férias e volta dia 28/02. Favor deixar um recado após o bip. bip.

quinta-feira, fevereiro 09, 2006

Yes..nós temos SkipeIn.

SkypeIn agora está disponível no Brasil. Receber ligações de telefones no próprio computador agora é possível.
/>"Lucky Brazilians get SkypeIn before the Canadians. Those north of the border will be ..... So now you can add that Rio number. Brazil is big with Skype and Orkut a social networking service. Rates for SkypeIn match the global rates. The only werid thing is "terms and conditions" are only in English. Shouldn't there be a translation?"

Cito a revita Magnet:

"Agora o SkypeIn está disponível para o público brasileiro, mais uma oportunidade de integrar quem não tem computador a quem utiliza o Skype através de um número telefônico.

você ligue para qualquer telefone no mundo através do computador, no SkypeIn você não pagará as ligações através de crédito. Você na realidade faz uma assinatura trimestral ou anual e ganha um número na cidade escolhida.

De acordo com a conveniência do usuário, ele pode escolher seu número a partir de uma série de combinações, para pegar o que for mais fácil de decorar. O serviço está sendo oferecido em parceria com a TransitTelecom e através dele você pode comprar números em Belo Horizonte, Campinas, Caxias do Sul, Curitiba, Joinville, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Santos, São José dos Campos e São Paulo.

O plano trimestral custa 10 euros (aproximadamente R$ 27), enquanto o anual sai por 30 euros (cerca de R$ 80). Cada usuário de Skype pode ter até 10 números de telefone SkypeIn atrelados a ele."




quarta-feira, fevereiro 08, 2006

Formação contínua

Suponha que você acabou de se formar em um curso superior de computação, já saiba programar em uma ou mais linguagens, tenha bons conhecimentos de algoritmos e está no mercado de trabalho, ganhando um salário interessante. Terminou por aí a fase de aprendizagem ? Não...está apenas começando. É interessante pensar que no mundo de tecnologia, as coisas se renovam de forma muito rápida. De repente novas tecnologias surgem, criam moda, algumas desaparecem, outras ficam....só para citar alguns exemplos de novas linguagens e tecnologias que começaram a fazer sucesso recentemente: Ruby, Lua, AJAX, Python.... Bom, mas até aqui, não falei nada de novo. O ponto importante é: como aprender coisas novas continuamente ? Não tenho a pretenção de querer ditar regras, ou falar o que é certo ou errado. So gostaria de dizer como eu acho que seria ideal. Participando de foruns de discussão, lendo matérias sobre tecnologia, e conversando com colegas de trabalho, percebo que muitas vezes se espera adquirir conhecimentos apenas fazendo cursos. E isso muitas vezes é usado como forma de justificar a falta de conhecimento ("não me pagaram o curso então não sei...", ou então "na minha faculdade não tive curso de tal linguagem..."). É muito comum também que a primeira ação a ser tomada quando não se sabe algo é ir perguntar diretamente para outras pessoas, seja via forum, seja via email, seja diretamente, sem que seja feita qualquer tipo de pesquisa prévia para tentar resolver o problema. Notem: não estou dizendo que fazer cursos ou que falar com pessoas que saibam sobre um determinado assunto seja ruim. Muito pelo contrário. Uma das grandes forças do movimento de software livre são as listas e foruns de discussão, e a facilidade com que se consegue trocar idéias com pessoas. E cursos são ótimos para consolidar certos conhecimentos, desde que bem ministrados. O que estou dizendo é que em geral, existe a tendência de transferir para outros a incumbência de nos ensinar as coisas, sendo que muitas vezes, deveríamos aprender sozinhos (ou pelo menos iniciar o aprendizado sozinho). A palavra importante que resume tudo isso é próatividade. Hoje em dia, temos a grande sorte de termos à nossa disposição uma fonte de informações quase inesgotável chamada Internet, e uma ferramenta imprescindível para encontrar informações nessa fonte chamada Google. Com isso e boas palavras chaves em mãos, é possível (quase) encontrar quase tudo. É verdade que a Internet é meio caótica, e é preciso separar o joio do trigo na hora de buscar informações necessárias (por isso também com o tempo é interessante montar uma coleção de sites e fontes de informações confiáveis), mas com um pouco de paciência e prática, pode se encontrar muita coisa útil. E mesmo assim, muitas vezes perguntas são feitas sem nenhum tipo de pesquisa. Exemplo: No ano passado, fui monitor de uma matéria onde se aprende os fundamentos básicos de LISP, PROLOG e JAVA para comparação e estudo de paradigmas diferentes de programação. Um dia, um dos alunos veio com um código em Lisp, dizendo que não estava conseguindo executar o programa. Abri uma shell, executei o clisp, carreguei o programa e mandei executar: erro na primeira linha. Corrigi o erro e mandei executar de novo: erro na segunda linha. Repeti a operação: erro na terceira. Neste momento, descobri que o aluno não tinha rodado nenhuma vez sequer o código, e pior: não tinha nem revisado ! Obviamente mandei ele pra casa testar tudo de novo e corrigir... Outro exemplo: há algum tempo atrás, quando participava ativamente de um sistema colaborativo de perguntas e respostas, recebi uma pergunta bastante simples sobre java. Fiz uma busca no google usando as palavras que apareciam no email, e retornei os 3 primeiros sites que apareceram no google, todos muito interessantes (dei uma olhada prévia pra ver se tinham informações úteis), junto com informações sobre a busca que havia feito. Dois dias depois, recebo um email da mesma pessoa, perguntando se eu não tinha nenhuma referência em português... Conselho: faça pesquisas antes de sair perguntando....muitas vezes, a resposta é obtida de forma fácil. Além do mais, fóruns de discussão devem ser usados apenas para obter pontos de partida, direções a serem seguidas....não espere respostas mastigadas...raramente serão obtidas. Sem contar que dependendo do assunto, poucas pessoas terão condições de saber tudo. Last but not least: ser computeiro, ou trabalhar com tecnologia, sem saber um mínimo de inglês (pelo menos para leitura), não dá !

terça-feira, fevereiro 07, 2006

Reuso de código....mal feito

O vôo transcorria normalmente...o helicóptero de guerra parecia ser muito eficiente nas manobras....o piloto estava apreciando as paisagens australianas. De repente ao longe, o piloto observa uma manada de kangurus (é manada mesmo?). Resolve fazer um rasante para poder admirar de perto esses animais exóticos. Como esperado, os kangurus se assutam com o helicóptero, e correm (ou pulam) para detrás de um morro.

Até aí, tudo normal.

De repente, um grupo de kangurus fortemente armados surge das montanhas e atiram um míssil contra o helicóptero, que explode !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Ficção científica ? Não...erro de programação. Este episódio aconteceu durante uma apresentação de um simulador de vôo australiano para pilotos americanos. O erro: ao desenvolver o simulador, o programador utilizou a mesma biblioteca de geração de soldados virtuais para gerar os kangurus, mudando apenas o skin ! O único problema foi que o programador esqueceu de desabilitar a opção de artilharia e os reflexos de soldado.

A descrição deste fato pode ser lida aqui


sexta-feira, fevereiro 03, 2006

Python no Google

Esse post faz um pequeno resumo de uma paletra no SDForun de um engenheiro da Google, Greg Stein, que falou sobre o uso de Python dentro da própria Google. É interessante para matar um pouco a curiosidade de como as coisas funcionam por lá....

Sobre engenheiros e administradores

Eu já ouvi algumas versões dessa piada...é relativamente velha....mas aproveito que por acaso eu caí numa versão dela, pra transcrever o texto:

A man is flying in a hot air balloon and realizes he is lost. He reduces height and spots a man down below. He lowers the balloon further and shouts: "Excuse me, can you help me? I promised my friend I would meet him half an hour ago, but I don't know where I am."

The man below says: "Yes. You are in a hot air balloon, hovering approximately 30 feet above this field. You are between 40 and 42 degrees N. latitude, and between 58 and 60 degrees W. longitude."

"You must be an engineer" says the balloonist.

"I am" replies the man. "How did you know."

"Well" says the balloonist, "everything you have told me is technically correct, but I have no idea what to make of your information, and the fact is I am still lost."

The man below says "You must be a manager."

"I am" replies the balloonist, "but how did you know?"

"Well", says the man, "you don't know where you are, or where you are going. You have made a promise which you have no idea how to keep, and you expect me to solve your problem. The fact is you are in the exact same position you were in before we met, but now it is somehow my fault.